Suspensos no horizonte

 

O dia escorregou, meio sem jeito,

Com ares de desgosto e algum enfado.

À tarde, recolhido e contrafeito,

Não sabe o que fazer assim travado.

 

A noite se apagara no horizonte,

Vencida pela forte ventania!...

Quando a turba bradava lá no monte,

Ressoavam os ais na negra agonia!

 

Espera do momento em que se vê,

Suspensos no horizonte Lua e Sol

— O instante sensorial do lusco-fusco...

 

As brumas que sondavam o fuzuê,

Apagavam as estrelas no reinol...

No rugir qu'ecoava ao vento brusco!

 

Nilza Azzi // Paulo Costa



Pacco *07h02






Insensatez

 

Esqueço de mim, lânguido, talvez!...

Quando a brisa se debruça em meu peito,

Mergulha em minh'alma, tod'a avidez...

Nas águas perfumadas em meu leito,

 

Na luz dessa paixão, na insensatez,

Derramo, sem fim, palavras de efeito.

Desejo, em meus sonhos, que tu me dês

Em verso e poesia o almejado: — Aceito!

 

Minh'alma vagueia em profundo som,

Vendo as estrelas, mergulhando ao mar...

Transpondo a fantasia em meio-tom,

 

Alcanço um merencório patamar.

No lamento das notas de um pistom,

Vêm lembranças nostálgicas vagar.

 

Paulo Costa // Nilza Azzi



Pacco *06h26






Visões no arrebol

 

Te vejo como vejo os passarinhos...

Cantando melodias no arrebol!...

Escrevendo frases em pergaminhos,

De belos cantos — como o Rouxinol!

 

À tarde, todos voltam para os ninhos,

As penas refletindo a luz do Sol.

Enfeitam céu azul; não vão sozinhos

Como eu. Que melancólico arrebol!

 

Tu és um anjo a iluminar os campos,

Tal qual um vaga-lume na floresta,

Onde o desencanto tornou-se encanto...

 

Que alegria sutil a tudo empresta,

A doce sensação desse acalanto,

O amor mais puro, cantado em seresta.

 

Paulo Costa // Nilza Azzi



Pacco *06h48






Esfera desmaiada...

 

Dia ensolarado ao redor dos mares...

Perfumando as ondas, cheias de olor;

Quando as espumas deságuam nos ares...

Gotinhas deslumbrantes regam a flor.

 

Formas transparentes, irregulares;

Vida em processo regenerador.

Em dança incessante pulsam milhares:

Preenchem o espaço, seja onde for.

 

Quando soprei a esfera desmaiada...

Desgarravam fagulhas sobre o mar,

Indo ao encontro das estrelas, idas...

 

Passando além de todas as medidas,

Grácil fruir das sensações sem par

Ao longe as bolhas susto e revoada.

 

Paulo Costa // Nilza Azzi



Pacco *06h28






Nessa Fonte

 

Para poder viver o sonho plenamente,

Devemos deixar passar essa imensidão.

No abrigo de portas fechadas, a canção

"Mais que perfeita" se projeta em minha mente.

 

O sonho, perspicaz, entrega-se ao poema

E sente segurança nessa longa trilha...

No encanto e no refúgio desta bela ilha,

Ó sono a vagar — nos vergéis o meu dilema.

 

Minhas pálpebras soluçam no reposteiro,

Na guarida de carvalho... mas o seresteiro

Sente a brisa do mar a esquentar o horizonte

 

E a canção quente, que enrubesce a própria Lua,

Revela o idílio, essa fragrância que é só sua...

— Faz mergulhar embevecido nessa fonte.

 

Nilza Azzi // Paulo Costa



Pacco *17h45






Labirintos

 

E deste ponto, além da estratosfera,

A Terra  pequenina e bela  eu vejo.

Não há razão de ser para o desejo!

Bebi, da eterna essência, quem eu era.

 

Ao longe, era d'encanto a longa esfera,

Mergulhada no eco dos lampejos...

Eu era o vento  a chama dos arpejos

Da abelha-mestra  estóica primavera!

 

Os íons viajavam velozmente,

As cargas portadoras da semente:

Há modos de entender tudo que existe.

 

Regozijo nesse frescor, que insiste

A levar-me a dédalos brilhantes...

Na imortalidade semelhante!

 

Nilza Azzi // Paulo Costa



Pacco *16h35






Dai-me...

 

Oh! Senhor! Estou com sede!... 

Tenho fome, e tenho dor!...  

Já não sinto mais calor... — 

Dai-me um canto em Vossa sede!

  

Sinto fraqueza, oh! Sagrado!... 

Quero dormir — tenho sono!... 

Quero ver-vos em Vosso trono, 

Num aposento arborizado...

 

Nem que seja um só instante... 

Dai-me, dai-me o Vosso amor... 

Mesmo que seja distante!...

 

Dai-me, dai-me, oh! Senhor!... 

Um orvalho ao diletante... — 

Que, mal, sonha um sonhador!

 

Paulo Costa



Pacco *17h24






Um soneto a Nilza Azzi

 

Tu és a brisa em forma de menina —

Sobre as vagas de encantos flutuantes...

Para adornar os campos verdejantes...

Ao trescalar das rosas na campina...

  

Tu és um pirilampo em meu jardim!...

Quando o arrebol cintila deslumbrante, 

Bailo co'a borboleta neste instante... —

Co'a doce sensação qu'é um querubim!

 

Encantando os acordes na seresta...

Co'os raios flamejantes sobre a flora...

Mergulho em tua essência na floresta,

 

Defronte às estrelas na linda aurora.

Nilza Azzi... Tu és saudosa em festa...

A iluminar as flores — sem demora!

 

Paulo Costa

 

--------------------------------------------------

 

Vem-de tudo

 

Poesia vem-de tudo!...

Vem-de livro, vem-de conto,

Vem-de versos com desconto...

Vem-de até pra surdo-mudo!

Todo mundo faz de tudo...

Vem-de histórias em jornais,

Vem-de estrofes passionais...

Vem-de frase sincopada,

Só não vem-de peixe-espada...

Mas são mui profissionais!

 

Paulo Costa



Pacco *16h59






Amor e aconchego

 

Prisma, refletindo anil e lilás;

Amigo, virtuoso e companheiro,

Universo de poemas e melodias,

Lago calmo, com águas cristalinas,

Onde o meu espírito encontra a paz.

 

Comunhão entre o passado e o futuro,

Oceano alfa, ômega, e faz parte de mim.

Semeando esperança de liberdade,

Tu és amado e amante...

Amor e aconchego, enfim...

 

(Madalena Romagnolo)

 

-----------------------------------------------------

 

Doce Madalena

 

Hoje é teu Aniversário!...

Vou fazer um poemeto,

E escrever este soneto,

Com’um canto d’um canário.

 

Sinto a beleza no ardor...

Quando escrevo u’a poesia,

U’a suíte e u’a fantasia...

P’ra encantar o meu amor!

 

Em teu peito, ó primavera!...

Sinto o aroma da açucena...

Pois tu és minha atmosfera,

 

Tão formosa — qual verbena! 

Tu és leoa... Tu és pantera...

Tu és minha doce Madalena!

 

Paulo Costa

 

----------------------------------------------------

 

Sexta-feira Treze

 

Hoje é sexta-feira treze...

Dia do meu Aniversário!...

Vou cuidar do meu aquário, 

Nu'a canção do séc'lo XIII.

 

Também vou fazer u'a prece, 

Para os meus adversários...

Tudo isto é necessário...

Quem sabe, Deus agradece.

 

Tu serás um humilde músico,

Se entenderes a harmonia...,

Sem esquecer que, tudo é lúdico!

 

Quando ouço u'a melodia

Num solo de Baixo Acústico...

Regozijo em demasia!

 

Paulo Costa



Pacco *16h02





- 01/07/2017 a 31/07/2017
- 01/03/2017 a 31/03/2017
- 01/11/2016 a 30/11/2016
- 01/03/2016 a 31/03/2016
- 01/01/2016 a 31/01/2016
- 01/12/2015 a 31/12/2015
- 01/10/2015 a 31/10/2015
- 01/08/2015 a 31/08/2015
- 01/07/2015 a 31/07/2015
- 01/05/2015 a 31/05/2015
- 01/04/2015 a 30/04/2015
- 01/03/2015 a 31/03/2015
- 01/02/2015 a 28/02/2015
- 01/01/2015 a 31/01/2015
- 01/12/2014 a 31/12/2014
- 01/11/2014 a 30/11/2014
- 01/08/2014 a 31/08/2014
- 01/07/2014 a 31/07/2014
- 01/05/2014 a 31/05/2014
- 01/04/2014 a 30/04/2014
- 01/03/2014 a 31/03/2014
- 01/02/2014 a 28/02/2014
- 01/12/2013 a 31/12/2013
- 01/10/2013 a 31/10/2013
- 01/09/2013 a 30/09/2013
- 01/08/2013 a 31/08/2013
- 01/07/2013 a 31/07/2013
- 01/06/2013 a 30/06/2013
- 01/05/2013 a 31/05/2013
- 01/04/2013 a 30/04/2013
- 01/03/2013 a 31/03/2013
- 01/02/2013 a 28/02/2013
- 01/01/2013 a 31/01/2013
- 01/11/2012 a 30/11/2012
- 01/10/2012 a 31/10/2012
- 01/09/2012 a 30/09/2012
- 01/08/2012 a 31/08/2012
- 01/07/2012 a 31/07/2012
- 01/06/2012 a 30/06/2012
- 01/05/2012 a 31/05/2012
- 01/04/2012 a 30/04/2012
- 01/03/2012 a 31/03/2012
- 01/02/2012 a 29/02/2012
- 01/01/2012 a 31/01/2012
- 01/12/2011 a 31/12/2011
- 01/11/2011 a 30/11/2011
- 01/10/2011 a 31/10/2011
- 01/09/2011 a 30/09/2011
- 01/08/2011 a 31/08/2011
- 01/07/2011 a 31/07/2011
- 01/06/2011 a 30/06/2011
- 01/05/2011 a 31/05/2011
- 01/04/2011 a 30/04/2011
- 01/03/2011 a 31/03/2011
- 01/02/2011 a 28/02/2011
- 01/01/2011 a 31/01/2011
- 01/12/2010 a 31/12/2010
- 01/11/2010 a 30/11/2010
- 01/10/2010 a 31/10/2010
- 01/09/2010 a 30/09/2010
- 01/08/2010 a 31/08/2010
- 01/07/2010 a 31/07/2010
- 01/06/2010 a 30/06/2010
- 01/05/2010 a 31/05/2010
- 01/04/2010 a 30/04/2010
- 01/03/2010 a 31/03/2010
- 01/02/2010 a 28/02/2010
- 01/01/2010 a 31/01/2010
- 01/12/2009 a 31/12/2009
- 01/11/2009 a 30/11/2009
- 01/10/2009 a 31/10/2009
- 01/09/2009 a 30/09/2009
- 01/08/2009 a 31/08/2009