Beija-flor

 

... Se poesia fosse só falar de amor...

Não saberia ‘screver cantos ao condor!

Se porventura, me tornasse um beija-flor...

Eu voaria suave co’a minha dor!

 

Paulo Costa



Pacco *19h26






Imagem de mulher

 

Guardo em meu leito tua imagem de mulher...

Macia como as nuvens a voar no céu...

Logo em minh’alma resplandece o alvorecer,

Do tresnoutar vibrante no encantado véu.

 

Quando adormece em meu peito u’a fantasia...

Revelando os segredos das belas flores...

— Ouço n’alcova o soar de u’a melodia,

Nos belos cantos a enternecer de amores...

 

Guardando os segredos nos dédalos do amor...

Minha ansiedade trespassa a ventania... —

Como um tufão a devastar — todo o pudor!

 

No aconchego tresloucado de euforia...

Donde exalam as fragrâncias de teu primor,

Na imensidade ao tocar u’a sinfonia!

 

Paulo Costa



Pacco *07h43






Dor cruel!...

 

Não sei se sonho tanto... Dor cruel!...

Se tu promulgas um ordinário rei...,

Não vês que sou ledo pelo que sei?...

— Na formosura e amplidão do céu!...

 

Oh! Não sei morrer; pois morrer não posso!

— Nos prazeres daquela felonia...

Tem um escudo na negra agonia,

Destarte — revelaste um mor molosso!

 

Enquanto, eu aturdido — voo em vão...

Sem rumo às estrelas na imensidade... —

Caio nas cinzas do "funéreo chão"!...

 

— Nas amplidões da inveja e nulidade...

Que assombram os cantos na sofreguidão...

— E choram na sepultura — a deidade!

 

Paulo Costa



Pacco *05h03






Papel de Parede - Mergulhando 1680x1050 [Widescreen]

Hoje!...

 

Hoje!... Lendo suas páginas nesse lindo canto co'afabilidade...

Vejo que todos os seus desejos foram transformados em ardor...

De encantos e encontros, na beleza desta imensa felicidade!...

 

Seu ardente sentimento leva-me para caminhos de esplendor...

Surgem poesias que vêm co'os raios de sol  cheios de ternura.

Sonho que sonhara outrora, naquele manifesto ledo  de beleza pura.

 

Minh'alma mergulha na resplandecência liberdade, e na altivez...

Parabéns, Lu Genovez, por abraçar seu coração mais uma vez!

 

Paulo Costa



Pacco *19h56






Poesia e Melodia

 

Certamente, não é tão trabalhoso escrever Poesia...

Trabalhoso, é descobrir a arte d'escrever Melodia!

Mas não vos entristeçais por não escrever uma Sinfonia...

 

No regalo de tanta euforia...

Onde transborda — a eufonia...

Quanta beleza nessa magia!

 

Perdoem-me a sinceridade... 

Por essa eventual verdade!

 

Paulo Costa



Pacco *19h26






Papel de Parede - Leão e Tigre, Momento Raro 1024x768

Te peço perdão!...

 

Venho através destas linhas te pedir perdão!...

Às vezes falamos o que não deveria ser dito; não,

E nunca deveríamos dizer!

Sou homem o bastante para reconhecer meus erros,

Meus desafetos, meus defeitos imperfeitos aos terceiros...

No engano de viver, no desprazer...

 

Venho através destas linhas te pedir perdão!...

Pedir perdão pelo meu orgulho, insatisfação...

Pelo meu desabafo, pelo meu jeito de ser...

Por ser um tanto intrépido e não querer ver!...

 

Aprendemos com os nossos erros de outrora...

Erros dos nossos próprios enganos e desenganos...

Às vezes até nos encantos, e mesmo nos desencantos.

Às vezes nos extrapolamos além dos nossos limites; embora...

 

Te peço perdão!...

 

No limite dos nossos erros infantis...

No limite de nossa cegueira cega a nos cegar,

De nossa imperfeição imperfeita e infeliz...

Dos nossos atos sem pensar, sem sentir, sem enxergar...

 

Para isso existe o reconhecimento!...

 

Reconhecer os nossos erros em nossos defeituosos desafios...

Observar os deveres e obrigações... Rever nossos desvios...

Os deveres que devemos honrar sempre... Custe o que custar!...

Aceitar todos nossos erros — é entrar em estado de graça e degustar...

 

Te peço perdão!...

 

Mesmo na escuridão sombria dos nossos desalentos...

Mesmo na solidão — que é a morada da escuridão...

Mesmo na emoção — que é a chave que abre o coração...

Sem o reconhecimento — não haveria o perdão — só lamentos!

 

Te peço perdão!...

 

Paulo Costa



Pacco *16h18






Papel de Parede - Descobrimento Dourado 1024x768

Ki nojo!

 

O ser incapaz só é capaz de iludir a si mesmo.

Ilude-se por achar que..., fazendo parte de um

Rol de incompetentes e irresponsáveis, o demagogo

Acha-se perpetuado por imaginar que estará seguro.

 

O mais "fraco" junta-se ao mais "forte" para puxar-lhe o saco;

Saco que repuxa, puxa e puxa, mas não larga o osso, enquanto

Não tiver um "lugarzinho" no gabinete da imoralidade social...

Por ter um posto — ser um pau-mandado — sente-se realizado!

 

A ignorância de sua própria demência, mostra que esse

Indivíduo é o mais insensato dos seres que o rodeiam...

Ki nojo, ki nojo! Realizar-se pela sua incapacidade de ser.

 

Pura ilusão, por imaginar que, nunca será traído por seus

"Fiéis amigos" do faz de conta... Comparsas do interesse,

Corja de burgueses — de "sepulcros caiados" e mal pintados.

 

Paulo Costa (Pacco)


 ---------------------------------------------------------------------------------- 

 


Massacradas 

Sonetilho dedicado aos garotos da Candelária

 

Vagando pelas calçadas...

Entre as mantas de jornal...

Crianças são massacradas...

— Num pecado capital!

 

Não existe calendário —

Nesse tempo infernal!...

— Só vejo o dignitário...

— Na coluna social!

 

Quando ouço o campanário,

Embalando a comunhão...

Surge um novo serpentário...

 

— P’ra iludir a multidão!...

... São tantos turiferários...

— Na assombrosa maldição!

 

Paulo Costa (Pacco)



Pacco *15h27






Papel de Parede - Cupido do Amor 1280x1024

Fazendo amor co'as letras

 

Fazendo amor co’as letras que me levam a sonhar...

E que me levem aos delírios triunfantes a brilhar...

Sonhar e inebriar no meu leito.

Sentir o desejo nas carícias embevecidas do amor...

Que me trazem as lembranças dessa imaginada cor...,

Cor do amor que resplandece o peito.

 

E no vaivém das palavras nuas em minha mente...

A paixão estonteante que o suor irriga a semente,

Que brotará em todas as relações...

Setuplicarão em adornadas poesias — heptassílabos no ar...

Nas melodias subentendidas, e nas ondas — o meu cantar...,

As letras em forma de corações.

 

Paulo Costa



Pacco *15h15






Hino da APAE

 

A Paz de toda humanidade...

Reflete em nossas emoções;

Viver com toda liberdade...

E o Amor em nossos corações.

 

A APAE que temos na cidade...

Nos faz amar sem distinção...

Nos faz Viver! Nos faz Crescer!

Com amor e devoção.

  

Uma história linda p’ra contar...

Então vamos cantar!...

Com fé, unidos nós seremos...

Vencedores, no Brasil!

 

(Paulo Costa e Madalena Romagnolo)



Pacco *14h53






Natal da APAE

 

Natal, Natal, Natal...

Natal belo e cheio de luz...

Natal, Natal, Natal...

Natal do Menino Jesus!

 

Natal, Natal, Natal...

Uma estrela que nos conduz...

Natal, Natal, um Feliz Natal;

Uma noite repleta de luz!

 

Os anjos cantam hinos de louvor...

Anunciando a Paz e muito Amor;

A alegria invade o coração...

Comemorando a nossa união...

 

A noite é de esperança e de luz...

Paz na terra — nasceu Jesus!

A APAE deseja um Feliz Natal;

Um lindo e Feliz Natal!

 

(Paulo Costa e Madalena Romagnolo)



Pacco *14h41





- 01/07/2017 a 31/07/2017
- 01/03/2017 a 31/03/2017
- 01/11/2016 a 30/11/2016
- 01/03/2016 a 31/03/2016
- 01/01/2016 a 31/01/2016
- 01/12/2015 a 31/12/2015
- 01/10/2015 a 31/10/2015
- 01/08/2015 a 31/08/2015
- 01/07/2015 a 31/07/2015
- 01/05/2015 a 31/05/2015
- 01/04/2015 a 30/04/2015
- 01/03/2015 a 31/03/2015
- 01/02/2015 a 28/02/2015
- 01/01/2015 a 31/01/2015
- 01/12/2014 a 31/12/2014
- 01/11/2014 a 30/11/2014
- 01/08/2014 a 31/08/2014
- 01/07/2014 a 31/07/2014
- 01/05/2014 a 31/05/2014
- 01/04/2014 a 30/04/2014
- 01/03/2014 a 31/03/2014
- 01/02/2014 a 28/02/2014
- 01/12/2013 a 31/12/2013
- 01/10/2013 a 31/10/2013
- 01/09/2013 a 30/09/2013
- 01/08/2013 a 31/08/2013
- 01/07/2013 a 31/07/2013
- 01/06/2013 a 30/06/2013
- 01/05/2013 a 31/05/2013
- 01/04/2013 a 30/04/2013
- 01/03/2013 a 31/03/2013
- 01/02/2013 a 28/02/2013
- 01/01/2013 a 31/01/2013
- 01/11/2012 a 30/11/2012
- 01/10/2012 a 31/10/2012
- 01/09/2012 a 30/09/2012
- 01/08/2012 a 31/08/2012
- 01/07/2012 a 31/07/2012
- 01/06/2012 a 30/06/2012
- 01/05/2012 a 31/05/2012
- 01/04/2012 a 30/04/2012
- 01/03/2012 a 31/03/2012
- 01/02/2012 a 29/02/2012
- 01/01/2012 a 31/01/2012
- 01/12/2011 a 31/12/2011
- 01/11/2011 a 30/11/2011
- 01/10/2011 a 31/10/2011
- 01/09/2011 a 30/09/2011
- 01/08/2011 a 31/08/2011
- 01/07/2011 a 31/07/2011
- 01/06/2011 a 30/06/2011
- 01/05/2011 a 31/05/2011
- 01/04/2011 a 30/04/2011
- 01/03/2011 a 31/03/2011
- 01/02/2011 a 28/02/2011
- 01/01/2011 a 31/01/2011
- 01/12/2010 a 31/12/2010
- 01/11/2010 a 30/11/2010
- 01/10/2010 a 31/10/2010
- 01/09/2010 a 30/09/2010
- 01/08/2010 a 31/08/2010
- 01/07/2010 a 31/07/2010
- 01/06/2010 a 30/06/2010
- 01/05/2010 a 31/05/2010
- 01/04/2010 a 30/04/2010
- 01/03/2010 a 31/03/2010
- 01/02/2010 a 28/02/2010
- 01/01/2010 a 31/01/2010
- 01/12/2009 a 31/12/2009
- 01/11/2009 a 30/11/2009
- 01/10/2009 a 31/10/2009
- 01/09/2009 a 30/09/2009
- 01/08/2009 a 31/08/2009